Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Feed Back Do Aniversário Da Princesa.


Nossa gente , nem acreditei quando amanheceu esse 18\12\2011, estava anciosíssima, não só pela data e tudo que ela carrega, como também, pela festinha programada com tanto carinho para nossa princesa, foi desde o meio do ano , precisamente quando tudo começou, a descisão pelo tema, a procura por idéias, e assim tudo foi acontecendo, decidimos por a mão na massa e fazermos alguns dos detalhes, lancheiras, lembrancinhas, e os docinhos, o resto conseguimos contratar os serviços.
E foram noites pensando , e durante a madrugada principalmente, as idéias bombavam na minha cabeça, e eu imaginava cada detalhe, sonhei durante todo esse tempo em como tudo iria acontecer. Certo que algumas coisas ficaram para cima da hora, mas se não fosse assim não seríamos nós da família "Vale", a semana chegou e começamos a correr contra o tempo , foram noites a dentro , chegando as madrugadas organizando tudo, e claro contando com a ajuda de algumas pessoas ESSENCIAIS para que tudo acontecesse, são elas: a Vovó Beta, claro sem ela tudo não teria acontecido e nós não temos nem palavras para agradecer tanta dedicação, a Dinda Fernanda, minha parceira nas noites a dentro, a Tia Shirley , sempre presente fosse com o cuidado na pequena ou na hora de fazer as guloseimas,  a fiel escudeira Cinthia , que dividiu os cuidados da   toda elétrica Leninha, com o papai, Tio Maciano e Tia Marcia, e também o Padrinho Claudinho, quero desde já agradecer imensamente cada ajuda direta ou indiretamente dada para que tudo acontecesse.
No dia foi aquela correria, eu amanheci indo ajeitar o cabelo, depois corri para o clube para levar as lembranças e o resto de todas as outras coisas, contratei a decoração e não me arrependi em nada, ficou tudo lindo e do jeito que imaginei, não contratei bifê, tipo jantar completo essas coisas, para mim festa de criança tem que ser regada a coisa de criança, contratei, crepe, algodão doce, cachorre quente, creme de galinha, salgados, refrigerantes e coquetéis, também contratei uma parte de Cerimonial que foi da Art Lab, que me ajudou e muuuito na recepção das pessoas, entrega de lembranças e tudo mais, eles ficaram responsáveis pela parte de servir os convidados também, adorei tudo, montei um cantinho de troca no banheiro, porque na minha cidade esse "detalhe" é totalmente esquecido, os banheiros e muito menos um fraldário existe que atenda as "nossas" necessidades, então, levei a banheira da Leninha só com a parte do trocador, montei uma mesinha com fraldas e lencinhos umedecidos também, idéia totalmente nova por aqui rsrs.
O comportamento da Leninha , foi impecável, não se aborreceu, tirou todas as fotos, brincou muito, tirando um pequeno engasgo com uma florsinha da lembrancinha, tudo correu muito bem, parece que ela sabia que a festa era dela, ficou até as 23:00hs e terminou de calcinha brincando com os presentes, porém a hora mais apreciada por ela , foi os parábens, agora tudo isso devido a chuva de prata que pedi para ser feita nessa hora, ela simplesmente amou ver os papéis luminosos caindo em cima da gente, foi lindo de ver, agora pasmem, eu não tirei uma fotinha sequer na minha máquina, tirei algumas das lembranças e lancheiras, mais da festa não consegui tirar nada, (para delírio do fotógrafo neh), o cansaço foi grandeeee, mas sinto que tudo valeu e muito apena, ver a alegria da minha pequena não teve preço, passamos uns "perrengues" mas nada que tirasse o brilho da festa, vou ficar devendo as fotinhas, volto assim que possível, semana corrida para o comérico e eu estou trabalhando e muitoooo.

Bjo a todos e até mais !!!!!!

Merciana Amorim.

sábado, 17 de dezembro de 2011


E um ano se passou , e desde que você chegou, tudo em minha vida se transformou, existe a grande teoria que o "tempo" ensina todas as coisas, pois para mim esse "tempo" se resume a você, você me fez realizar o a maior sonho de todos, me fez ver a vida não apenas de "uma" outra forma , mas sim de "várias" outras formas, me tornou um ser humano melhor, mais generoso, mais paciente, mais amorosa, mais dedicada, mais solidária, enfim tudo em minha vida melhorou e muito depois da sua chegada, os momentos maravilhosos vividos ao seu lado se tornam indiscritiveis a cada dia que passa, e até superar as crises depois de você se tornou mais fácil.
O aniversário é seu meu amor, mais o presente quem ganhou foi eu, e agradeço a Deus sempre e todos os dias por ter mandado esse anjo que é você, meu amor por você, não só é feito de momentos fáceis, tem sim aqueles dias que dá vontade de te "tacar" na parede (brincadeirinha), tem os momentos de impaciências , imcompreensões, tudo como de fato existe em um verdadeiro amor.
Obrigada meu anjo, por esse ano maravilhoso que passamos juntas, dizer que passou rápido não tem nem graça, mais um filme está passando em minha mente desde o início dessa semana, lembro a cada instante o quão ansiosa eu estava para sua chegada, sem imaginar o quanto a saudade ia chegar do tempo em que tinha você aqui guardadinha dentro de mim...
Você consegue me ganhar com o gesto mais absurdo possível, com o olhar mais singelo que existe na face da terra, você tem o dom de transformar todo e qualquer sentimento, calma em tempestade, tempestade em calma, cansaço em energia, lágrimas em sorrisos, tristeza em alegria, sofrimento em felicidade, enfim só você tem o poder de me transformar em quem sou, durante esse ano sorrimos (muito) juntas, choramos (pouco) juntas também, mais não deixamos de nos amar um só dia.
Ter você em meus braços todos os dias me faz sentir verdadeiramente especial, pois ninguém mais me aceita me ama com todos os meus defeitos e minha qualidades, apenas você, por isso , quero viver todos os meus dias para tentar retribuir todo esse amor que dedicas a mim todos os momentos, saiba que nem nos meus maiores planejamentos imaginei ganhar você assim, com esse seu jeitinho encantador de ser, papai do céu só pode amar muitooooo a mim e ao seu pai, para ter nos presenteado dessa maneira, portanto tudo que eu tente ser para você, saberei sempre que eu poderei ser melhor, pois mereces sempre ter a melhor parte de mim, sei que talvez nem eu nem seu pai seremos para você os melhores pais do mundo, mais saiba que iremos estar contigo sempre ,  juntos comemoraremos as suas inúmeras vitórias, iremos segurar sua mão sempre que você sentir medo, e iremos te abraçar cada vez que uma lágrima cair de seu rosto, e prometemos te amar a cada dia de nossas vidas. Sonhamos com você desde o primeiro dia que nos conhecemos, desejamos você desde a primeira que nos tornamos um só, e durante longos 8 anos você foi um sonho contido, e agora depois de um ano você não imagina o tamanho da realização que sentimos em te-lâ conosco, você é a mais pura exteriorização do nosso amor, da nossa cumplicidade, do nosso comprometimento, e do sabor de dever se cumprindo a cada dia que passa.
Parabéns minha bonequinha e que possamos estar sempre juntas e comemorarmos sempre cada ano que passar ,te amo tanto filha, que não consigo medir isso de forma alguma, só sei que sempre te amarei por todos os dias de minha vida e a mesma promessa que fiz a seu Pai , farei a você, eu Merciana Amorim te prometo se fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, por todos os dias de minha vida, obrigada meu anjinho por ter me escolhido pra ser sua mãe nessa sua passagem por aqui, e que Papai do Céu te proteja cada dia mais durante muitos e muitos e muitos e muitos anos !!!

Merciana Amorim !!!!!!!

domingo, 4 de dezembro de 2011

A Linguagem Corporal Dos Bebês.


Os bebês falam através do corpo. Seus gestos e expressões são diálogos silenciosos à linguagem verbal, mas riquíssimos em comunicação corporal. 




Aprender a ler e interpretar a comunicação corporal contribui para criar um ambiente de compreensão mútuo, pois ignorar essa conversa significa calar a voz natural do bebê.


A comunicação dos adultos é a linguagem verbal e ao mesmo tempo dominam a linguagem corporal. Para o bebê a linguagem corporal dos pais expressa muito mais do que a linguagem verbal, visto que o bebê não tem capacidade de compreendê-la. Portanto, o bebê reage muito mais àquilo que sente, percebe sensorialmente do que o que escuta.


A pele é o maior órgão do corpo humano e o primeiro a formar-se ainda intra-útero. O contato corporal faz parte do bebê e pode ser re-significado no contato através dos cuidados diários.


Embalar, aninhar, acariciar, massagear o bebê é de extrema importância porque esse contato auxilia os pais a aprenderem a ler e compreender a linguagem corporal do bebê. Os bebês não dominam completamente essa linguagem e dia-a-dia elas sofrem mudanças com as interações que recebe nos cuidadas diários. Através do corpo o bebê expressará seus sentimentos e necessidades e a partir do momento que o bebê é compreendido torna-se mais próxima à solução.


Para aprender a ler a linguagem corporal do bebê basta ter contato, dedicar-se e relacionar-se, com o olhar voltado às expressões de necessidades e atentos a compreensão. Dessa forma, a solução vem, diminuindo a necessidade do bebê chorar para se fazer compreendido. O ideal é perceber o momento e retribuir com a solução. Por exemplo, se a mãe sente os seios incharem indicando que está chegando à hora da mamada, seria interessante que ela estivesse perto e observasse o comportamento do bebê e já oferecesse o seio ao bebê antes dele chorar com fome. Dessa forma o bebê compreende que pequenos sinais corporais já traduzem seu desejo. O contrário, por exemplo, se o bebê chora com fome e a mãe não oferece o seio indica ao bebê que ele precisa chorar mais forte, oferecendo mais sinais corporais para que seu desejo seja atendido.


Uma forma bastante eficaz e diferente do dia-a-dia de aprender a linguagem corporal é massagear o bebê através da Shantala. A massagem além de ser um ato de amor e vinculação (dentre outros benefícios), permite um diálogo corporal, onde quem aplica se coloca em inteira atenção para oferecer satisfação ao bebê. 


O ritmo corporal da Shantala e o olho no olho permite uma visão ao entendimento dos movimentos do bebê, entendendo isso a solução se aproxima, diminuindo o sofrimento de ambos.


Permitir-se encontrar momentos diários de intimidade com o bebê são vitais vão além do cuidar, mais sim de manter um olhar as reais necessidades do bebê.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Procurando Entende-la.

Eu como uma mamãe de 1ª viagem que sou, sofri bastante no início tentando entender os sinais que a Maria Helena me dava, e esses sinais claro, sempre vinham em choro, até porque, é a única maneira que ela sabia se expressar,  sofri bastante achando que era uma péssima mãe por não compreende-la imediatamente, então eu passei a a observa-la minunciosamente, procurei ler bastante, e claro procurar a ajuda de mamães mais experientes. Confesso que hoje, já conheço consideravelmente a minha pequena, conheço seu jeitinho de entediada e querendo mudar o ambiente, sua carinha quando quer fazer o nº 2, quando está chegando o sono, quando está com gases, ou simplesmente quando não quer ninguém só a mim, consegui identificar suas super-estimulações, assim também como os saltos de desenvolvimento. Olhem que não foi fácil, parti do princípio de eliminação, quando uma coisa não funciona parto para outra e assim até chegar o que realmente funciona, assim que ela nasceu, quando vinha o primeiro chorinho, eu já oferecia o peito, depois percebi que não podia ser assim, como ela podia ter acabado de mamar e já querer de novo, então vi que certa forma eu estava "silenciando" ela, enquanto eles tem até 3\4 meses, não existem muitas necessidades, apenas comer, dormir e aliviar os gases (pelo menos comigo foi assim), agora depois dos 5 aí sim, tudo muda , começam a se entender de gente, aí pronto, começam as linguagens e tipos de choros. Hoje tento ouvi-la antes de correr e enfiar a chupeta nela, sim eu já fiz isso, achando eu que estava ajudando-a.
Agora com praticamente 12 meses, precisei me adaptar aos seus novos sinas, , sofro um pouquinho porque ela se entendia muito rápido, então tenho que recorrer a todos os artifícios acessíveis, que vai de brincar de boneca com ela na cama, a banhos de bacias enquanto eu lavo a louça, e assim vamos convivendo da melhor maneira possível, sei que talvez existam horas que eu não corresponda ela como deveria, mas já me conscientizei que existem coisas que com o tempo vou aprender, não adianta devorar livros viver na internet pesquisando, porque tudo vem há seu tempo, eu vivia lendo coisas já para bebês que tinham 1 ano, para prever e procurar entende-la melhor quando a fase chegar, agora não, vou vivendo a fase uma de cada vez, e procurando corresponder dia a dia suas necessidades, e assim vamos vivendo juntas e ainda com muitas interrogações pela frente...
( Fotinhas que estava devendo )











Merciana Amorim.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Nosso 10º Mês Foi Assim.


Bem meninas, apesar da ausência e da imensa saudade de vocês, vivo de olho em todas, é que além da nova rotina de trabalho, junto a autoescola, está chegando o niver da minha bolinha, e então, já que durante o dia está quase impossível ficar a par dos preparativos, só me resta a noite para dividir as atenções, primeiro para a Leninha, aí vem marido, casa, casa da mamis, os amigos, nosso cantinho aqui, então por isso nossa ausência , mas vamos lá tentar ir lembrando as descobertas do nosso 10º mês :
Nada de engatinhar,
Andando pra todo lado, sem precisar ficar segurando na nossa mão,
Não levanta sozinha,
Ficou doentinha de fato pela primeira vez,
Começou a pronunciar a palavrinha "mapa" da Dora aventureira,
Acompanha a música do "se eu fosse um peixinho, e soubesse nadar , eu levava o papai pro fundo do mar", ela repete "papai papai ", e assim seja lá quem for.
Sabe as paredes que as lagartixas passam, e as chamam com um xiii xiiii,
Sabe que o peixinho vem de dentro da água , e aponta para o açude e diz pixiiiiiiii, pixiiiiiiii,
Continua amando a Galinha Pintadinha,
Descobriu os carrinhos de supermercado e quer viver dentro deles,
Ama comer a sopinha do supermercado,
Conhece todos funcionários de lá,
Está muitoooo "pregada" comigo, é como se a síndrome da separação estivesse chegando agora,
Já levanta o dedinho indicador, quando perguntamos: Quantos anos Leninha vai fazer ???
Sabe "estralar" os dedos,
Teve algumas noites que dormiu a noite inteiraaa, quando não, acorda uma vez pra tomar a dedera e pronto,
Quando tá tomando banho, quer ficar com o rosto inteirooo debaixo da água,
Não pode ficar de frente com alguma gaveta, que sai abrindo tudo e tirando tudo de dentro,
Está com uma personalidade fortíssima, (fator preocupante e assunto pra outro post),

Tenho certeza que tem muito mais coisas, mais não estou conseguindo lembrar agora, pena não poder ficar aqui falando e falando, estamos a todo vapor nos preparativos, anciosa para contar e mostrar algumas coisinhas pra vcs, mas vou deixar passar a festa para mostrar tudo, e que venha nosso 1º aninho...

Beijos e fiquem com Deus...

Merciana Amorim.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Das Primeiras Vezes Que Nunca Se Esquece



Pois bem pessoal, demorou, mais infelizmente chegou o dia, depois de 10 meses, quase 11 que será completo em 18/10/2011, a minha Leninha esteve de fato, doente de verdade, nunca tinha tido nem uma gripesinha, apenas um nariz escorrendo, quando dentinho ia sair, e eis que ontem, tudo aconteceu, a tardinha o "painho" ligou pra mim no trabalho dizendo que ela estava meio "quentinha" pedi pra medir a temperatura, estava 37º, então orientei a medicação e pensei comigo que poderia ser mais um dentinho, cheguei do trabalho e ela normalsinha, na sua agitação de sempre, coloquei ela pra dormir e achei ela meio quentinha ainda, fiquei o tempo todo dando uma verificada na temperatura, e eis que as 00:30 o termômetro marcou 39.3º, quase pirei, dei remedinho novamente e fiquei com ela até baixar para 37.9º, coloquei o celular para despertar a cada hora, e fiquei tirando a temperatura a cada hora, as 3:40hs ela acordou muito inquieta , e fez bastante cocô, molinho mesmo, como disenteria mesmo, aí sim a preocupação triplicou, fiz a dedera dela, e ela tomou quase toda, voltei a ir tirar um cochilo as 5:00hs, as 6:00hs ela acordou de novo, fazendo cocô novamente, foi pro banho com o painho. Durante a madrugada a menor temperatura foi 38.3º, eu não sabia se chorava se rezava, o que fazia primeiro, porém dia amanheceu pra minha felicidade, ligamos para médica e marcamos as 9:30hs.
Fui trabalhar, com o coração menor que uma ervilha, pois pela primeira vez eu estava sentindo o tempo todo que não era algo tão simples, saí no horário marcado, e chegando lá a Pedi, verificou a garganta e relatou que estava vermelhinha, mas sem nenhum tipo de "pontinho" de pus, na escuta, tudo normal, o problema ia ser que ela vai viajar e passar a semana toda fora, se mostrou muito preocupada como sempre, e já providenciou tudo, outro médico sob aviso, medicações prescritas, e uma solicitação de exame de sangue, aí sim veio a pior parte, ela nunca tinha feito um exame de sangue, tinha ficado acordado do outro médico examina-la amanhã , e só depois da avaliação , iria decidir se precisava ou não do exame, e viríamos a questão da garganta. Quando saímos, já fiquei com aquela sensação estranha, eu e marido olhando um pro outro com a interrogação estampada em nosso rosto, o outro médico de sob-aviso, também iria viajar amanhã, então a Pedi achou melhor que fizéssemos o exame de sangue, então como o centro de autorização da Unimed, fica quase em frente a clínica, lá fomos nós autorizar o exame e fazer logo.
E aí veio a pior da pior da pior parte de todas, chegamos lá no laboratório e a Leninha toda animada, andando de um lado pro outro, porque apesar de tudo e da febre, ela não sossegou um segundo, ela não suporta que "segurem" ela , tipo "prendendo" ela, quando isso aconteceu, ela já abriu o berreiro, fiquei com ela no colo e papai segurando o outro braço, graças a Deus, tudo foi muito rápido a senhora que colheu pegou a"veinha" de primeira, foi a mesma que fez o teste do pesinho, ela tem uma mão abençoada mesmo, e pronto acabei chorando mais que ela eu acho, me doeu tantooooooo, ela ali no colo, com os olhos cheios de lágrimas, como eu nunca tinha visto, olhando pra mim, com uma frase estampada, Mãe me ajuda !!!!!!!
Fui pegar o exame as 11:30hs e a Pedi ficou esperando eu ir apresentar a ela o resultado, e batata: Grau de Infecção se iniciando, não tãooo grave, mais o suficiente para começarmos de cara o uso de antibiótico, peguei atestado, voei pra casa, para começarmos a maratona, ela sempre foi boa de boca pra remédio, pelo menos os dois únicos que ela toma, que a vitamina Protovit e o Ultrafer, ela de cara vomitou o soro reidratante , não quis comer nada e eu comecei me preocupar cada vez mais, porém graças a Deus ela tomou o antibiótico e o Florax (catinga de leite azedo argggg), e não colocou pra fora ( mata de orgulho essa minha filha), e dormiu a tarde quase toda, acordou ótima, querendo ir pro chão direto, conseguiu comer uma papinha doce de banana com aveia, e fomos dá uma voltinha na casa da vovó, na volta, ficou brincando com o painho dela, assistindo a inseparável Dora Aventureira, e dormiu feito um anjinho com ele, tomou a dedera também, acordamos ela as 22hs pra tomar o antibiótico de novo, e graças a Deus ela tomou tudinho, agora é rezar para a noite ser tranquila.
E assim mais das milhões de "Primeiras Vezes" que ainda iremos passar, só que dessas, desejo que sejam pouquíssimas vezes, e hoje senti mais ainda orgulho da minha filhota que não se entregou em momento algum, mesmo com tudo isso.
Abraço a todos, e fiquemos na Guarda de Deus !!!!!!

Merciana Amorim

terça-feira, 8 de novembro de 2011

De Carne Em Osso, (momento desabafo).


Pois é gente , parece que foi ontem e a minha princesinha já vai fazer 1 ano, e hoje começo a avaliar o quanto minha vida mudou durante esse tempo, nesse momento me vejo no meio a um turbilhão de coisas, uma verdadeira tempestade de verão, se vai passar e quando vai passar, não sei, só sei que o que estava meio monótono, hoje está meio "fora do controle".
 A volta ao trabalho e a falta de comprometimento das pessoas, a separação física da Leninha , na maior parte do tempo, administrar a casa , tentar compensar os momentos "adormecidos", driblar os percalços financeiros, ser a esposa ideal e desejada, não sei se devido tudo isso, as vezes tento avaliar no que me transformei, ou se na verdade sempre fui assim, meio (papo de doido neh ?) rsrs, mais é exatamente assim que me sinto as vezes, sem uma exata definição do que estou sendo e principalmente "sendo" para as outras pessoas, a uns agrado demais, a outros desagrado demais, a outros nem existo, a outros existo até demais, (papo doido 2), fato é que não me sinto mais a mesma, e não sei até que ponto isso me ajuda ou me atrapalha, sei das ações/reações que existem em minha vida, e sei a causa/consequência de tudo isso, porém mesmo sabendo de tudo isso, me vejo e principalmente me sinto, de carne e osso, queria muito ser uma fortaleza o tempo todo, e eu juro que eu até tento sabe, mais de vez em quando, me sinto no direito de fraquejar sim, de errar sim, de querer voltar atrás sim, de me arrepender sim, enfim de sentir o que muitos sentem e não tem coragem, ou não querem expor , por medo de opiniões contraditórias.
A maternidade me fez descobrir um mundo que nunca imaginei conhecer, me trouxe uma dose de "realidade" nunca imaginada por mim, e nem o tamanho da maturidade que ganharia,  me imaginava , aquele tipo de mãe toda não me toque, cheia de frescura, cheia de opiniões formadas, e principalmente "FRÁGIL", e de todas as maiores e melhores descobertas com esse maravilhoso mundo, a maior delas foi saber que não, eu não sou tão frágil, eu posso ter até momentos frágeis, mais eles não são presença constante em minha vida, pelo contrário, os sinto cada vez menos, depois que percebi que pude gerar uma vida, e tenho a grande missão de fazer esse ser  tentar dá um rumo certo a sua vida, pois terá mim como exemplo na sua jornada, passo a perceber o tamanho do valor que eu tenho, e por mais que eu me questione, que me queixe, que ache que possa estar fazendo algumas pessoas infelizes, eu me sinto grande, grande o suficiente para seguir qualquer caminho que a vida venha a me propor, que eu sou grande o suficiente para saber os meus limites, e saber o quanto estou sendo necessária a vida das pessoas, me sinto triste, choro sozinha, as vezes acho que to fazendo tudo errado, que "eu" sou a causadora de tudo, mas agora depois desse meu "novo" mundo descoberto, sinto que eu sou extremamente importante para aquelas pessoas, que desejam que eu seja importante, e que ser "necessária" vai muito além de ficar num canto quieta e aceitar as condições impostas, ou de tentar se "montar" numa imagem de " mulher perfeita", não , não sou a mulher perfeita e nem quero ser, para nenhum campo da minha vida, quem realmente me ama, me ama assim desse meu jeitinho, meio  perfeccionista, meio desorganizado de ser, meio criança de ser, meio impulsiva de ser, meio desconfiada , meio explosiva, meio doce, meio amiga demais, meio antipática demais, enfim meu jeito "eu" de ser.
De tudo isso , tiro uma única lição, ser mãe foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida, porque além desse novo ser que saiu de dentro de mim, vejo que um novo ser continua vivendo em mim, e que esse, eu não quero que saia nunca, e a você filha, que quero te agradecer e vou te agradecer pelo resto da minha vida, me doarei a cada segundo mais,  porque você me tornou alguém melhor, posso não ser para todos, mas sei que para você e para mim mesma, eu tento todos os dias ser alguém melhor, por você eu me sinto forte, por você eu "mato" e morro literalmente, porque sei que por você sim, tudo sempre valerá a pena, e você pode até me fazer chorar e me deixar triste um dia, mas esse amor dedicado a você nunca vai mudar, porque sei que ele de verdade é o único amor INCONDICIONAL, e assim vou vivendo dia a dia, porque afinal sim, eu sou de carne e osso.

(sei que talvez ninguém entenda nada , nem eu mesma, porém no momento é o que estou sentindo vontade que saia daqui de dentro, para ver se alivia todas as inúmeras ???????? que estão me atormetando, e principalmente pra quando minha filhotinha crescer , ela ler isso tudo, e afirmar que sim a mãe dela é meio doida, mais eu a amo mesmo assim rsrsrs)

Merciana Amorim.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Nosso 9º Mês Foi Assim.


Não sei se com vocês funciona assim, mas a cada mês que venho aqui fazer essa postagem, começo a me assustar, parece que foi ontem aquele 14\04\2010, onde descobri que ela chegaria, e hoje, estamos aqui já com 10 meses que ela vive entre nós, trazendo muita alegria e felicidade para nossas vidas, e esse 9º mês foi recheado hein?, a minha bolinha de neve está se superando a cada dia, vou tentar lembrar de tudo, mais as principais estão aqui :
Já aprendeu de vez a soltar beijo,
Dá tchau para tudo e todos,
Diz não, mostrando o dedinho e balançando a mão de um lado para o outro,
Já sabe onde fica o nariz, boca, orelha, pé e cabelo,
Já sabe quem são os (nenêns), seja bonecas ou de verdade,
Conhece de longe o som da Dora Aventureira começando,
Não engatinhou de jeito nenhum,
Não consegue ficar de pé sozinha, mas já dá altas passadas,
Já imita o estalar dos dedos, ao som da Galinha Pintadinha: "quem está feliz estala os dedos..."
Aponta para a palma da mão ao começar : "Meu pintinho amarelinho..."
Aprendeu uma careta que é a coisa mais linda do mundo,
Ainda vive de molho dentro da banheira, piscina, bacia, seja lá o que for, simplesmente que ficar horas no banho,
Continua super simpática , não estranha ninguém,
Ama qualquer tipo de animal em movimento, e agora deu para focar nas formigas, vive catucando as bixinhas,
Está dormindo muitoo bem durante o dia e a noite também graças a Deus, chega a quase duas horas durante o dia , e a noite acorda uma vez para tomar a dedera, dorme sempre no cantinho dela, (que ninguém escute muito para ñ dá mal olhado rsrsrsrs)
Ama as comidas de mastigar, e continua boa de boca (graças a Deus),
Está com 6 dentinhos e apontando mais um,
Adora gritar gollll, e não pode ver um jogo de futebol que já começa a falar o danado do golll,
Continua tomando Nestogeno com Mucilon, e ama as papinhas da Nestlé, seja doce ou salgada,
 Fico devendo os vídeos com os fatos acima citados rsrrsrs
Pois é filha, vc me enche de orgulho a cada dia que passa, e eu te amo a cada dia mais, não só por essas coisas, mais sim porque vc foi a escolhida por Deus para ser minha, e nem que passem milhões de anos, eu conseguirei agradecer a ele por esse grandioso presente, vc chegou pra me mudar , me mostrar o que realmente é sentir um amor incondicional, me mostrou que se renunciar nem sempre é ruim, que pensar duas vezes e respirar fundo vale a pena, me mostrou a graça do perdão , tanto para os outros quanto para mim mesma, me vejo outra pessoa depois de você, e já te agradeço desde então por isso, por isso quero que saibas que meu Amor será eterno , e te aceitarei assim desse jeitinho que és , e pelo que ainda vai se transformar, estarei aqui para tudo o que precisar e prometo te estender a mão no que for preciso, Te Amo mtoooooooo filha e obrigada por 10 meses de pura felicidade que você tem me proporcionado desde que chegou em minha vida...

Birrenta

Merciana Amorim.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Reagindo Aos Tombos.



Olá pessoal, estou sumida mais estamos por aqui, com muita novidade e pouco tempo rsrsrs, e hoje volto com uma postagem não muito animadora, estávamos na casa de um casal amigo nosso, e claro como sempre , que a bolinha de neve , passou 5 minutos apenas sentada e brincando, logo começou a se aguniar e querer ir andar, então anda pra lá, anda pra cá, e eu vejo logo de cara um centro pontiagudo, já recostado na estante, porém não menos inofensivo, e eis que um pequeno tropeço no tapete (mesmo eu ali quase andando de "quatro" para ficar colada nela, não consegui segura-la) e catapum, boca da Leninha bem em direção a "quina" do centro, resultado, corte no lábio, sangue evidente e choro, muito choro, todo mundo parou e ficou em choque, eu pensei na hora, quebrou o dente, mas mantive a calma, peguei ela, "avaliei" o estrago e para meu alívio os dentinhos estavam lá inteiros, apenas um corte meio "considerável", lavei como pude e ela deixou com água gelada, em seguida, ofereci gelo, e ela rapidinho se viu entretida de novo, chupava o gelo durante 5 segundos e, choromingava 3, mas assim consegui que ela chupasse muito gelo, e em menos de 10 minutos, ela estava lá se jogando para ir para o chão de novo, fiquei triste, por ser justo no dia das crianças, me culpei, mais não fiquei remoendo, hoje vejo que não vale a pena, nem ficar se culpando, nem se desesperar antes de avaliar o acontecido, imprevisto superado e fomos rumo a aproveitar o dia dela, fiquei com medo dela não querer comer, devido o incômodo, mais que nada, comeu tudo, tomou água normal, tomou a dedera , e pronto, foi tratar de aproveitar os presentes que ganhou, porém resolvi pesquisar mais sobre o assunto e adorei esse artigo que se segue, é  um tantinho longo mais vale a pena:

Proporcionar brincadeiras que estimulam a criatividade e a consciência corporal dos pequenos é essencial para o desenvolvimento das crianças, porém, é preciso que os pais estejam sempre atentos para evitar que os momentos de diversão não se tornem um pesadelo.
Com o auxílio do livro“Crianças e Adolescentes Seguros”, publicado pelaPublifolha, pais e educadores aprendem a cuidar de seus filhos e alunos e preservá-los dos diferentes tipos de acidentes e violências.
Leia abaixo trecho que aborda as quedas e como prestar atendimento às crianças nessas situações.
QUEDAS
As quedas constituem um mecanismo de trauma significativo na infância. Podem determinar inúmeras conseqüências diretas e indiretas para a criança – de pequenos ferimentos à morte – e, conseqüentemente, à sua família.
Nos Estados Unidos, as quedas são as principais causas de lesão não intencional (acidente) entre crianças e geram o maior número de visitas aos departamentos de emergência, com mais de 3 milhões de consultas a cada ano. Desse total, cerca de 200 mil consultas referem-se a quedas em equipamentos de recreação (playground), entre pré-escolares e escolares.
No Brasil, a mortalidade decorrente de quedas é preocupante, embora não significativa, tendo determinado no ano de 2004 um número expressivo de internações entre crianças de até 14 anos de idade. Isso significa um custo hospitalar considerável de pouco mais de 25 milhões de reais no território nacional – cifra correspondente a 2,64% dos gastos hospitalares com crianças em 2004.
Tipos de queda
Existem diferentes formas de quedas, com conseqüências variadas. Esse tipo de acidente é composto por uma miscelânea de eventos que envolvem queda ao solo, de altura (acima de 2,5 metros), em escadas, em degraus, de um nível a outro, em equipamentos de recreação, de móveis e também aquelas decorrentes de atividades esportivas.
Lactentes apresentam risco maior de cair de móveis, escadas e andadores. Pré-escolares estão mais sujeitos a queda de janelas. Entre os escolares, a tendência é de acidente no playground.
Depois de listar 32.754 casos de trauma em crianças, o National Pediatric Trauma Registry (NPTR, serviço norte americano de registro de trauma pediátrico) identificou a seguinte situação:
- 27% foram gerados por quedas em geral;
- 19% dos traumas por queda foram decorrentes de altura;
- outro dado relevante do NPTR: 62% das quedas entre 2.540 crianças hospitalizadas registradas num período de dez anos (entre 1988 e 1998) ocorreram em equipamentos de recreação, com predomínio da faixa etária entre 5 e 9 anos.
Os tipos de queda que resultam em hospitalização espelham o estágio do desenvolvimento e o nível de atividade das crianças. Acidentes relacionados a atividades recreativas e esportivas são mais freqüentes entre 5 e 14 anos de idade. Entre crianças de 1 a 4 anos, acontecem com freqüência razoável quedas de móveis, da cama, de equipamentos de recreação, de degraus, de escadas e de altura – esta última é a que gera maior mortalidade.
Uma peculiaridade das cidades brasileiras é a presença de edificações cobertas apenas por laje, comuns em regiões socialmente menos favorecidas. A laje exerce grande atração entre crianças das diferentes faixas etárias, constituindo um local onde realizam diversas atividades e brincadeiras – daí a freqüência de quedas com traumatismos variados, que geram lesões graves e mortalidade considerável.
Apresentação clínica
Quedas podem gerar lesões decorrentes da transmissão de energia ocasionada pela desaceleração súbita do corpo que cai. As lesões variam conforme o tipo de superfície para a qual a energia do impacto está sendo dissipada e a posição em que a criança atinge tal superfície. Assim, quedas de locais elevados são consideradas evidência de alto impacto, com significativa transmissão de energia. Contudo, quedas de alturas menores não são necessariamente benignas, podendo gerar lesões extremamente graves e até letais.
A posição do corpo no momento do impacto também influi na gravidade do acidente e ajuda a definir quais lesões podem ser mais encontradas. Tome-se como exemplo a criança que cai de uma determinada altura atingindo o solo em pé: as quedas 179 lesões mais comumente encontradas são as de calcanhar, colo do fêmur, coluna e vísceras abdominais. Supondo que essa mesma criança tenha atingido o solo deitada, a dissipação de energia ocorreria numa área maior, com grande probabilidade de lesões mais extensas em tamanho, mas com menor gravidade, quando comparadas com o primeiro exemplo.
Em virtude da gama de possibilidades de quedas – altura, posição de impacto, superfícies com maior ou menor poder de absorção de energia – de corpos com dimensões variáveis, diversas lesões podem ser encontradas, com diferentes graus de repercussão nos órgãos e sistemas da vítima.
Vale destacar, porém, a ocorrência de traumatismo crânio-encefálico (TCE) decorrente de queda em crianças, pois pode gerar lesões graves e mortes. Nos Estados Unidos, múltiplas lesões corporais ocorrem em 50% das crianças vítimas de quedas de janelas e o trauma craniano, com ou sem comprometimento de outros segmentos corporais, ocorre em 65% desses acidentes.
Primeiros socorros
Duas questões fundamentais podem nortear os pais quanto ao que fazer numa situação que envolve a queda de uma criança.
O que fazer
- Quanto mais alta a queda, e dependendo da superfície em que ocorreu, maior a probabilidade de lesões sérias.
- Segure a criança até que pare de chorar e observe sintomas diferentes do usual.
- Se a criança ficar inconsciente após a queda, não a mova.
Observe sua respiração. Se não estiver respirando, inicie as manobras de ressuscitação cardiopulmonar.
- Contate o Serviço Médico de Emergência.
Quando acionar a emergência
- Imediatamente, se houver perda de consciência.
- Imediatamente, se ocorrer trauma craniano sério.
- Se a vítima apresentar sonolência, irritabilidade, alteração de comportamento, convulsão, vômitos.
- Se a criança reclamar de dor, especialmente no pescoço ou no dorso.
- Se persistir chorando, inconsolável.
- Se estiver sangrando ou com escorrimento de outro fluido do nariz, ouvidos ou boca.
- Se apresentar sinais sugestivos de fraturas.
- Se houver qualquer dúvida sobre os sintomas apresentados, as lesões ou o comportamento após a queda.
Prevenção
O conhecimento da situação determinada pela queda pressupõe a necessidade de promover estratégias preventivas que minimizem o impacto gerado sobre a criança. Há várias estratégias pertinentes, no que diz respeito às crianças e ao ambiente:
- Não é possível evitar toda queda. Experimentar faz parte do processo de desenvolvimento infantil: toda criança cai ao aprender a andar, ao se movimentar rapidamente, ao testar um novo brinquedo. Entretanto, a supervisão pode minimizar riscos potencialmente maiores.
- Prenda as crianças com o cinto de segurança em cadeirões e carrinhos de bebê.
- Andadores são perigosos e contra-indicados.
- Não posicione mobília próximo a janelas.
- Não posicione o berço perto de janelas nem mantenha suas grades laterais abaixadas.
- Auxilie e supervisione crianças próximo a escadas, degraus e varandas.
- Não permita que crianças permaneçam sobre lajes. O ideal é proibir o acesso a essa estrutura.
- O uso de portão de segurança no topo e no pé da escada auxilia a impedir o acesso.
- Proteja as janelas com redes ou grades de segurança, testadas e comprovadamente seguras.
- Crianças devem usar equipamentos de segurança (capacete, joelheira etc.) na prática esportiva, assim como ao andar de bicicleta, skate ou patins.
- Não permita que a criança pule dos equipamentos recreativos. Alerte-a para a função do brinquedo: por exemplo, escalar e descer pelo lado correto.
- Parques recreativos devem adotar estruturas para o solo capazes de reduzir a gravidade do impacto numa queda eventual.
- Os equipamentos de recreação do playground não devem ultrapassar a altura de 1,5 a 2 metros.



Fonte: http://diganaoaerotizacaoinfantil.wordpress.com/2009/05/20/como-proteger-seu-filho-de-quedas-e-prestar-primeiros-socorros-a-criancas/

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Andar Sem Engatinhar, Como Pode ?

Pois é gente, essa minha filha é uma figura mesmo (mãe babona eu sei), eis que eu tentei e tentei e estimulei desde o 6º mês, para que a Leninha engatinhasse, porém nada se concretizou, ela ia, ia e ia ficando logo aborrecida quando não conseguia sair do canto, fora uns mergulhos de cabeça , portanto como assim do nada , eu apenas encostei ela no sofá, e chamei: Vem mainha , vem cá !!, e para minha total surpresa ela veio, e deu cerca de uns 4 passinhos, e pronto foi o suficiente para eu ficar em extâse, e ela para nunca mais depois disso, querer saber de fazer outra coisa, pensei, há ! deve ter sido só essa vez, mais que nada, fiz de novo e de novo e de novo, e ela foi só aumentando as passadas, hoje consegue facinho ir de um comôdo para o outro sozinha, porém não consegue levantar sozinha ainda, e abortou de vez a ideia do engatinhar, eu particularmente acho lindinho demais, essa fase do engatinhar, ver aquele bumbum indo de um lado para o outro, na maior carreira do mundo, acho lindo demais, mais já que quem dita realmente as regras por aqui é ela, que assim seja, estamos com a coluna literalmente só o pó, devido a Leninha só querer viver no chão, quando só querer, é SÓ querer mesmo, quando chego do trabalho a saudade dela passa em 5 minutos, ela vem , me abraça fica cheia de dengo, porém logo se joga para onde ? Lógico que para o chão, e vamos lá, pegar na mãozinha e acompanhar a incansável jornada dela.
Tivemos a consulta dos 9 meses e ela está pesando exato 9kg, e medindo 71 cm, andou pra todo lado dentro do consultório, e a pediatra foi só elogios, e agora a nova descoberta é dá tchau de verdade, e soltar beijinhos para todo mundo, (coisa mais linda do mundo), em breve posto um vídeo, pois bem assim encerro as novidades, estou ausente, e fico com o coração apertado com saudade daqui e do cantinhos de todas vocês, mais estou numa jornada meio atropelada, vou para o trabalho, venho almoçar em casa, passo a maior parte do tempo com a bolinha de neve, volto para o segundo expediente e depois já vou para auto-escola, e de lá saio as 22:00hs , portanto tá quase impossível ficar muito por aqui, mais isso será momentânea mente, assim que terminar essas aulas teórica da CNH, eu vou botar em ordem as coisas por aqui, xeroo em todas e fiquem com Deus.
Merciana Amorim, me despeço com umas fotinhas da bolinha de neve.





domingo, 25 de setembro de 2011

Cama (não) Compartilhada.



Pois bem, eu, acredito que como toda mãe de primeira viagem, sempre tentei definir algumas "regrinhas", a serem cumpridas, e a cama compartilhada sempre (quase) está entre elas, eu procurei seguir fielmente essa regrinha imposta por mim, e conseguimos, e por incrível que pareça não foi "exatamente" por mérito "meu", o fato é que a Maria Helena , nunca gostou de dormir comigo na nossa cama, pois é, eu confesso que no auge do cansaço eu até tentei deixa-la comigo na cama, acreditando que as horas de sono seriam maiores, pura ilusão, tudo igual ou até pior do que ela no bercinho dela, e olha que minha cama é super confortável, eu e meu marido ficávamos imaginando os domingos que acordaríamos os três e seria aquela farra, isso acontece , porém depois que ela vem do cantinho dela, nunca vi, ouvi ou li , sobre algum bebê que não gostava de dormir na cama com os pais, pelo contrário sempre vejo o contrário, e a luta para conseguir se desvencilhar desse vício.
Não estou reclamando, longe disso, prefiro assim do que ter que travar uma luta com ela depois, principalmente pela sua segurança, morro de medo de quedas, de dormir por cima, esse tipo de coisa, mas as vezes sinto uma pontinha de falta desses momentos que sei que são incrivelmente emocionantes, mas tenho nosso momentinho na rede, aí é o ponto fraco dela, pode botar uma rede que ela se derrete, dorme o sono dos anjos, se estiver com alguém numa rede, porém, não fica tão confortável pra mim, o pescoço e as costas que o digam, mas adoro ficar sim agarradinha com ela na rede, mas sempre a coloco no bercinho quando ela adormece, menos as 6:00hs quando ela acorda e a levo pra rede e cochilamos novamente até as 7:30hs, e a tarde o sono é com o papai , simplesmente apaga com ele depois do almoço, enquanto a mamãe aqui vai mimi na cama.
Hoje já consigo perceber alguns traços da personalidade da minha pequena, e a independência é uma marcante, com 2 meses, ela já se levantava apoiando nas mãos da gente, com 3 , ela já foi para o seu quartinho dormir sozinha, com 4, ela já se virou sozinha, com 5, ela já sentava sozinha sem apoio, e agora com 6, ela ficava tirando nossas mãos de junto do corpo dela para ficar solta, (não sei pra quê, porque ela nem engatinhava ainda e já queria ficar solta, com 6 também, ela já corre para todo lado no anda-já, e se sente o máximo, fica saindo do nosso colo em direção ao seu transporte, com 7 ela ditava seus horários para tudo, com 8 começou a dar seus primeiros passos, e portanto não me restou muita coisa a não ser aceitar sua independência meio que precocemente.
Não julgo de forma alguma as mamães que vivem na cama compartilhada, se assim se sentem melhor, e é o melhor também para o sono do bebê, que assim seja, porque se comigo tivesse sido diferente e ela só dormisse bem se fosse comigo, assim eu o faria sem remorso algum, pois ninguém melhor do que a própria mãe para saber o tamanho das necessidades que se tem, depois de uma bebê, eu não segui regras alguma, apenas quando ela nasceu, desde o 1º dia, ela sempre ficou no seu bercinho depois de mamar, nos 3 primeiros meses no nosso quarto, depois já no seu quartinho, se foi isso o suficiente, não sei, mas sei que se acostumou assim e é assim que vamos permanecer, apenas obedecendo os desejos dela.
E assim vamos vivendo, eu aprendendo a lidar com a "Independência" da minha pequena grande bebê, e ela lidando com a minha enorme "Dependência" de mãe, assim estamos cada dia mais juntas e felizes, e com vocês, o que funcionou melhor ?

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Nosso 8º Mês Foi Assim.

Nosso 8º mês foi marcado pela grande novidade, a minha volta ao trabalho, já senti as mudanças de cara, muuuuuita manhã, muito dengo, e muita saudade, sinto um aperto enooorme sempre que a deixo, e por mais que eu saiba que ela está em ótimas mãos, isso não abranda meu coração, a culpa as vezes chega de forma avassaladora, sinto tanto que no post sobre cada mês talvez não saiba dizer tudo que realmente está acontecendo, pois bem, decisão tomada, não é hora de ficar se lamentando mais, vou administrando da melhor forma meu tempo, e principalmente junto a ela, e a cada mês que passa sinto mais sua independência, e agora que já quer andar pra todo lado, não tem quem segure, a saudade dela por mim dura no máximo 5 minutos, quando chego, ela corre pra mim, fica em meus braços cheia de dengo, mas passado 5 minutos ela já quer ir para o chão, graças a Deus voltou a comer muito bem agora que os 4 dentinhos já saíram, 2 inferiores e 2 superiores, já aprendeu a fazer o som de oooool de "gol" pausa (mãe babona) despausa, simplesmente ama qualquer animal que se mova , e sempre faz o mesmo som pra eles, continua amandoooo o banho, e o quente então nem se fala, já dá em torno de uma 20 passadas ou mais sozinha sem apoio, não começou a engatinhar e acho que nem vai , apesar de achar lindoo demais criança engatinhando, mais se ela quer assim,assim vai ser, ela também aprendeu agora a chamar as coisas\pessoas, vive abrindo a mãosinha e fechando, chamando tudo e todos, continua simpática pra todas , já é mais conhecida que farinha aqui nos supermercados vizinho a minha mãe, conhece todo mundo e já entra rindo pra todo mundo, sabe comemorar as coisas como ninguém, levantando os bracinhos e gritando êêêêê, pois bem se não me engano ou perdi alguma coisa pausa (mãe desconsolada), despausa, espero não perder muita coisa dessa fase , vou ficando por aqui que já to pegando até tubaraão, xerooo a todas !!!

Merciana Amorim
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...